RIP – Dalton Browne

O lendário Guitarrista estava se recuperando de um ataque Cardíaco ocorrido seis dias atrás. Após campanhas nas redes sociais para doarem sangue, infelizmente o Jamaicano de 64 veio a óbito ontem na sua terra natal. Leia aqui uma parte da enorme carreira da fera descrita por ele mesmo através de um documentário dirigido e produzido por Harrison Stafford Do Groundation. “Eu Venho de uma família de músicos, todos os meus irmãos são músicos profissionais. Entramos na musica em 1968, cresci na parte oeste de Kingston onde também iniciei meus estudos no ensino básico. Depois fui para Primário junto de Dennis Brown, Cantávamos com Dennis no horário do recreio. Daí Começamos nos interessar pelo que acontecia nos Estúdios, eu e meus irmãos começamos a ser os apoiadores para músicos, isso foi que realmente atingimos naquela época. Tínhamos uma sala que transformamos em Estúdio. Eu tinha 12 anos e dizíamos ser nosso estúdio, ouvíamos falar mas não sabíamos como realmente funcionava um Estúdio. Tínhamos na verdade um jogo de som estéreo, era o que chamávamos de Estúdio. Era nosso estúdio. As pessoas ouviram falar de um estúdio, onde Bob Andy, Keith e Tex Estava. Foi aí que comecei a tocar guitarra. Através do senhor Keith, que era o líder. Meu irmão Glen Downie (baixista de Taurus Riley) no momento Tocava guitarra e baixo. Havia uma banda chamada Generation Gap, pois nós não tínhamos espaço e precisávamos de espaço para ensaiar por lá. Costumávamos ver essa banda ensaiando, o que tocavam, como tocavam e Glen adorava ver tocar o baixo. Meu pai disse para comprarmos um baixo que por fim teria efeito com uma guitarra de 6 cordas ,melhor que a de 4 cordas. Pensei: Quero comprar uma dessas pro reggae tocar certo na guitarra.” Então comecei a tocar guitarra encaixando perfeito com meu irmão Glen no baixo. Em 1972 me juntei a banda Generation Gap, uma das 40 melhores de Kingston, por um bom tempo. O Freddie Mcgreggor era o líder na época, éramos os membros mais jovens da banda, formamos amizades, porém a banda terminou em 1980. Então formamos a banda do Studio One. Assinei contrato com o Studio One, e em seguida Gravei o album (Bobby Babylon & Truths e Rights) de Johnny Osboune. Esse foi um bom tempo no Studio One. Formávamos a banda do Studio One, onde inúmeros músicos costumavam gravar, a exemplo do Bob Le Blanc, Ken Boothe, John Holt, etc. Iriamos iniciar um tour pelo mundo com Freddy Mcgreggor, mas a banda chegou ao fim antes disso rolar. Daí pra frente sou musico até os dias de hoje. Descanse na força Guerreiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?